[ editar artigo]

Como ter meu próprio salão?

Como ter meu próprio salão?

Como ter meu próprio salão? O ofício do cabeleireiro já não é fácil, envolve muito conhecimento, tanto que até usamos matemática na colorimetria, lembra? Mas e se der aquela vontade de abrir o próprio salão? Tem como conciliar os conhecimentos de cabelo com administração?

Neste texto eu  não vou dar dicas de como lidar  com os serviços de cortes e coloração capilar, mas sim de como dar conta das demandas de um salão de beleza pelo olhar da administração.

De onde criar um salão?

Quando chegamos num certo grau de conhecimento, confiamos tanto no nosso trabalho que surge a ideia de termos nosso próprio negócio, não é mesmo? Então aproveite essa oportunidade para entender um pouco mais do que envolve criar um salão!

1. Planeje!

A primeira coisa que você precisa fazer é um planejar! Apesar de soar demorado, meio chato ou até complicado, o planejamento vai fazer você pensar em cada parte do seu salão.

Nessa hora, pegue papel, caneta, lápis, giz, seu teclado, o que for... Mas ponha as mãos à obra!

Você precisa prever: quais as oportunidades e as ameaças ao meu salão? Sabe tudo aquilo que você não tem controle mas que influencia de alguma forma nos negócios? Aí entra a situação econômica da população, o comportamento das pessoas do seu bairro... É pensar o que você pode aproveitar pra criar o salão.

Também pense quais são seus pontos fortes, no que você trabalha bem, domina e pode usar como diferencial! Tente deixar de lado suas fraquezas, e busque se aperfeiçoar com tempo...

Pensar é importante para tomar decisões corretas, sem arrependimentos!

2. Compare!

A concorrência pode passar como principal base, acredita? Pesquise o que tem de melhor perto de você, quem sabe não possa fazer melhor ou igual? 

Se você já conhece sobre colorimetria capilar, pode ter certeza que já deixou quase todos seus concorrentes para trás, mas ainda existem algumas estruturas que são importantes.

Tenha em mente que as ideias que você procura vão servir para o seu salão de beleza, assim, tanto experiências positivas quanto negativas contam (elas servem para preparar você do que está por vir)!

3. Se prepare!

Tente pensar que você precisa trabalhar dentro das suas possibilidades... Então, economize e guarde dinheiro para realmente fazer seu salão funcionar.

Ah, você sabe que uma grande rede de salões não funciona da mesma maneira que um salão de bairro, mas, sem dúvidas, possuem coisas em comum que podem ser  adaptadas... E quem sabe, no futuro, você consiga fazer tanto sucesso pra ter uma rede inteira?

Como colocar a "mão na massa"?

1.Dê vida a sua ideia

Pense num nome bem criativo, que chame sua clientela para diversos trabalhos. É sempre bom pensar em nomes fáceis de guardar e que não gerem nenhum mal entendido, porque provavelmente sua divulgação mais forte será no boca-a-boca, onde suas clientes vão contar para as amigas o quão bom seu trabalho é!

2. Ache um Lugar

Você precisa ter um local pra fazer seu salão existir né? Pense se vai começar na sua casa, se vai alugar um lugar ou até mesmo - se puder - comprar um. Esteja perto das pessoas que vai atender e pense que o importante é o seu trabalho!

Como lidamos diretamente com o visual das nossas clientes, o seu salão deve trazer um pouco do que seria seu trabalho, afinal, ele será a primeira impressão de quem procura pelos seus serviços.

3. Tenha os equipamentos

Pense também no que vai precisar para atender, exemplos são:

- cumbuca;

- pincéis;

- escovas;

- secador;

- chapinha;

- tesoura;

- navalha;

- cadeira;

-  lavatório;

- estantes;

- espelhos;

- produtos;

- shampoos;

- cremes;

Veja tudo que precisa pra trabalhar, dando prioridade ao que vai usar no dia-a-dia.

4. Valorize seu trabalho

Os trabalhos ofertados devem estar bem aparentes, porque enquanto algumas clientes procurarão por corte, outras vão querer coloração, umas mechas e assim por diante.

Se no começo não houver funcionários para funções de manicure, pedicure, estética, entre outros serviços comuns em salões, foque no seu trabalho, e ofereça sempre o melhor de você, atribuindo valor ao seu serviço.

O valor que me referi ali em cima não é só o dinheiro não, mas tudo que acompanha seu atendimento, a qualidade com que executa suas funções, a forma com que trata seus clientes.... seus diferenciais!

Ah, por mais que você não seja diretamente responsável pelos produtos que usa nas suas clientes, por meio deles que sua imagem fica em jogo, então busque sempre trabalhar com marcas de confiança, é só lembrar aquele jargão “o barato sai caro”...

No que investir?

Você, no começo, não precisa aplicar toda a sua reserva no que há de mais caro, tenha consciência de seus gastos para que eles tragam retorno para você... Dinheiro envolve equilíbrio e custo-benefício, bons gastos são investimentos e devem trazer algum resultado positivo.

Lembre sempre que você é seu maior investimento, e que o conhecimento é a base de tudo, cursos e atualizações são sempre bem-vindos.

Essas dicas são apensas uma parte do que é necessário para criar um salão, falaremos de tudo devagarinho aqui.

Pesquise bastante e vá investindo em você, quando se sentir confiante, tente colocar suas ideias no papel ou no seu eletrônico, revise, aprimore, revise de novo, melhore!

Tenho certeza que lhe você vai ter bons frutos!

Enquanto vai melhorando suas ideias, fique de olho aqui no blog da Equipe Valente, na página do facebook do grande professor Alejandro e no youtube, ele está sempre ensinando alguma coisa que vai fazer uma mudança para você.

Deixe seus comentários e suas dúvidas, estou aqui pra lhe ajudar. Sucesso!

Alejandro Valente
Carolina Magalhães Cezar
Carolina Magalhães Cezar Seguir

Amante de gatos, tagarela, leitora frenética e escritora compulsiva, transito em vários temas, repassando um pouco do meu conhecimento pessoal, absorvido por osmose ou forceps, empírica ou teoricamente...

Ler matéria completa
Indicados para você