[ editar artigo]

Como mudou o setor da beleza? Empresa de cosméticos

Como mudou o setor da beleza? Empresa de cosméticos

Vou falar sobre o que vivi e hoje vejo no segmento da beleza.

Vivemos muitas mudanças. O que antes demorava 100 anos para mudar em questão de comportamento e conhecimento, hoje a mudança acontece em apenas 1 ano!

Se você é cabeleireiro há mais de 30 anos lembra que no Brasil existiam poucas empresas de cosméticos e que estas reinavam soberanas. 

Lembrando de 15 anos atrás, vivenciamos algumas marcas de cosméticos para cabelos sendo desenvolvidas no Brasil. E essas alcançavam o cabeleireiro mais humilde, pois a tecnologia era escassa e o preço era bem inferior ao mercado.

Hoje vivemos uma enxurrada de marcas nacionais que terceirizam seus produtos ou tem fabricas próprias e essas são pequenas, medias e grandes brigando de frente com grandes marcas mundiais como Loreal, Wella, Keune, Schwarzkopf,....

Pois é, o mercado mudou! E isso aconteceu muito rápido!! 

Minha visão sobre tudo isso é que grandes marcas tinham grandes distribuidores responsáveis por grandes regiões pois tinham muitos vendedores. Entendeu? Empresa, distribuidor e vendedor esse sempre foi o modelo de negócio das marcas de cosméticos envolvendo (coloração, descolorante, tratamentos e alisamentos)  Porém, isso mudou!!!

Como?

Distribuidores hoje tem suas próprias marcas e vendedores também!!

Uma vez que todos entenderam que o lucro é maior não tendo atravessadores o risco de criar uma nova marca no mercado se torna aceitável. E empreender passa a ser uma realidade.

E como começar? Por onde?

Com progressivas... Lógico!!!

Produtos à base de formol ou diversos ácidos que quando aquecidos mantém o cabelo liso ( neste post não abordarei os riscos ao utilizar progressivas) 

Por que começam com o produto progressiva??? Porque é barato! E o cabeleireiro em uma única aplicação já tira o custo do produto e se consegue fazer até 20 processos com um único produto. Realmente um negócio da China!!!

Com isso o novo empresário empreendedor consegue o capital para realmente entrar no setor da beleza com os produtos necessários.

E o mercado da beleza inchou!

E é exatamente nesse momento que nos encontramos!!

A mudança foi boa? O que você acha?

Vamos considerar 1º do ponto de vista do novo empresário de cosméticos e depois do ponto de vista do cabeleireiro.

O distribuidor ou vendedor sabe vender, mas dificilmente tem conhecimento do que e como desenvolver bons produtos para o cabelo.

E é aí que o problema começa!!!

No escuro o novo empresário da beleza vai a uma grande fábrica de produtos cosméticos como "Coferly" e "Color way " " duas grandes fábricas da América latina sediadas em São Paulo, Brasil.

Segue uma visita a fábrica:

Ali encontram tudo do que precisam ativos e componentes para a produção de:

- Descolorante (branco, azul, violeta,  vermelho,...)

- Colorações ( naturais, reflexos, corretores, superclareadores, reforçadores de clareamento, MIX,..)

- Tonalizantes ( naturais, reflexos, corretores, MIX, matizadores,...)

- Tratamentos ( Shampoos, máscaras, condicionadores, ampolas, plex, cauterizações,...)

- Alizamentos ( Tioglicolato de Amônio, Hidróxido de Guanidina, Hidróxido de Sódio, Hridróxido do Litio,...)

E agora? O que produzir? 

As fabricas tem pacotes disponíveis que vão de um fusca a uma Ferrari em questão de ativos, tecnologia e resultados.

E sabe o que é mais desafiador? 

É ter alguém pensando pela sua marca, alguém que entenda de ativos e pigmentos, alguém que realmente crie um diferencial em algo que você está apostando todas as sua fichas.

Você deve estar se perguntando, como assim? A empresa não fornece todas essas informações? 

E eu Alejandro Valente te respondo NÃO!! Pelo menos não em partes.

Como disse existem pacotes de tantas cores e tantos produtos para começar a brincadeira e esses pacotes são os que fulano e ciclano comprou!! Poucas mas bem poucas empresas "se é que tem alguma" pensou no mais importante antes de criar qualquer produto.

Sabe o que é?

É pensar...o que incomoda o cabeleireiro? Qual sua dor? Qual produto iria resolver esse ou aquele problema no dia a dia do salão de beleza?

Talvez você posso estar achando que eu estou sendo prepotente por me referir assim a grandes empresários. Peço desculpas se criei essa impressão. Mas deixa eu te falar...

Todas as semanas empresas com esses perfis citados à cima entram em contato comigo sabe para que?

Para que eu os ajude a desenvolver o marketing do produto. Como assim? É isso mesmo! Me contratam para prestar consultoria sobre como vender seus novos e mesmo antigos produtos.

E minha 1º pergunta na 1º visita a fábrica é: Para quem foi desenvolvido esse produto?

A resposta é óbvia: Para o cabeleireiro!

Mas minha pergunta não é essa! Eu pergunto para que tipo de cabelo se crespo, liso, ondulado, fino, grosso, com volume, sem volume, descolorido, colorido, sensível, quebradiço, sem elasticidade, se deve seu usado a quente ou a frio)

E aí vem minha descoberta óbvia. Vem a grande resposta:

Então...é para isso que contatamos você, Alejandro!

      " Imagine construir uma casa sem levar em conta o tamanho da família, sem levar em conta o tamanho dos móveis, sem levar em conta o local certo para tomadas e interruptores, sem levar em conta se a casa vai servir.

Depois de construída ter que ficar derrubando e quebrando paredes e aumentando cômodos, com toda certeza não é a melhor forma de investir seu tempo e dinheiro"

Para se criar qualquer produto, primeiro deve ser definido quem é o cliente, depois do que ele precisa, quanto ela está disposto a pagar, qual o canal para alcança-lo, como criar um relacionamento com ele e talvez a maior questão: O que de maior valor eu entrego?

Se conseguir identificar a necessidade saberá exatamente o que produzir!

Você empreendedor da beleza deve fazer um plano de negócios não somente pensando no quanto vai investir, mas principalmente no o que vai produzir e aí sim as fabricas cumprirão com excelência o seu papel. Por entender exatamente o que você quer em entregar "seus" planos como resultados nas misturas dos produtos.

Se esse for o caminho eu tenho certeza que nos encontraremos em grandes feiras, eventos e workshops 

Porem se não for eu temo que sua empresa não dure mais 2 anos!

Porque aí entra a visão do cabeleireiro quanto ao o que mudou.

Num mundo em que os alunos são do século XXI, os professores são do século XX e a empresas do século XIX  Como você pode se destacar?

Para ficar claro e focado, falarei sobre a visão do cabeleireiro no próximo post

Comente o que achou e o que Pensa a respeito. Sua opinião é muito importante. Aqui você ganha voz!

 

 

 

Alejandro Valente
Alejandro Valente
Alejandro Valente Seguir

Colorimetrista Educador - Considerado especialista na área de educação profissional, seu programa de cursos e workshops tem reconhecimento internacional. Profissional a 18 anos, idealizador do curso EAD online de COLORIMETRIA avançada

Ler matéria completa
Indicados para você