[ editar artigo]

Os desafios da colorimetria capilar

Os desafios da colorimetria capilar

Os desafios da colorimetria capilar são imensos nos dias atuais.

Precisamos primeiro entender que a colorimetria capilar nos propõem muitos desafios, desafios esses que costumo chamar de aprendizado no tapa!

Porque no tapa? Porque muitas vezes o conhecimento nos dá a teoria e no salão temos que por em prática. E é nessa hora que acontecem os erros que nos fazem crescer no aprendizado, pois são nos erros que aprendemos o certo.

Exemplo:

A cliente chega no salão e lhe pede aquele vermelho maravilhoso que ela viu na novela e você faz um diagnóstico rápido achando que vai ser moleza! É nessa hora que você começa a se candidatar ao 1º tapa!

Você fez o diagnóstico errado e não percebe que a cliente tem metade do cabelo com tonalizante (por que ela disse que viu na internet sobre o uso de tonalizante como melhor que coloração porque vai saindo com as lavagens, como dizem na internet! só que não!!),

Sem perceber, você aplica a cor desejada no cabelo de forma errada.

2º tapa: ao aplicar você começa a perceber que fez caca, pois uma parte do cabelo começa a vibrar com a nova cor é outra começa apagar.

3º tapa: você começa lavar o cabelo e confirma sua suspeita, fez caca mesmo!

4º tapa: começa a secar o cabelo e vem a confirmação, a cliente olha no espelho e fala:

— Que caca é essa que você fez no meu cabelo?

Então o 1º desafio da Colorimetria Capilar é a falta do diagnóstico certo para se conseguir o resultado desejado.

O 2º desafio seria saber onde estamos e para onde queremos ir.

Toda vez que fazemos o diagnóstico nos cabelos da nossa cliente, precisamos fazer um pequeno cálculo matemático: saber qual cor que está no cabelo e quantos tons teremos que clarear.

O simples cálculo matemático de somar ou subtrair é o básico que precisamos saber. E temos que ter isso em mente, cabelo grosso ou fino, altura de tom natural ou cosmético, cabelo branco e a porcentagem existente nos fios.

Precisamos nos conscientizar que somos profissionais e precisamos saber enfrentar esses desafios.

Eu sou um exemplo disso.

Há um tempo atrás eu não sabia desses desafios, pra mim coloração era tinta, shampoo descolorante era Shampoozada (credo! Que palavra feia arghh!!), e que matemática era só pra engenheiro, arquiteto e matemático.

E digo pra vocês hoje, eu tomei muito tapa e bota tapa nisso!

Hoje, graças ao curso de Alejandro Valente, tenho a plena consciência de que o conhecimento liberta.

No próximo editorial estarei falando sobre os pilares da colorimetria capilar.

Alejandro Valente
Osvaldo Morroni
Osvaldo Morroni Seguir

Cabeleireiro - AJ Hair Studio

Ler matéria completa
Indicados para você